Seu mídia kit está atraente?

por | out 7, 2021 | Meu Blog | 0 Comentários

O que é mídia kit?

Dentro do contexto de publicidade, mídia kit é um documento criado por veículos de mídia para ser disponibilizado a anunciantes. Possuem informações importantes para ajudar no melhor planejamento de campanhas pelos anunciantes, como tipos e formatos de anúncios e seus respectivos custos.

No contexto de trade marketing, não é muito diferente. Uma das fontes de captação de verba dos varejistas e demais formatos de canais de venda e distribuição, é a venda de ferramentas de visibilidade e de ações que ajudam a impulsionar o sell out dos produtos. Portanto, no contexto de trade marketing, o mídia kit é um documento desenvolvido pelos canais de venda que contempla tipos e formatos de ferramentas que ajudam a gerar maior visibilidade e destaque às marcas e aos produtos das indústrias, com o intuito de impulsionar as vendas.

Como elaborar um mídia kit vendedor?

Construa uma introdução atraente

Uma boa introdução é o primeiro passo para atrair a atenção do leitor. Dessa forma, é importante, logo no começo, já esclarecer o que é o material e mostrar os benefícios e ganhos que a indústria pode ter ao investir. Como sugestão, o conteúdo de introdução deve apresentar:

  • o que o material oferece;
  • como o mídia kit beneficia a indústria;
  • principais dados e destaques do seu negócio, reforçando a ideia de que você é um bom parceiro para a indústria investir a verba;
  • contatos dos responsáveis para esclarecimento de dúvidas.

Deixe as informações sobre as ferramentas e ações bem claras

Sejam espaços em loja, formatos de anúncios em encartes, campanhas ou formatos de ações, as ferramentas de visibilidade e as iniciativas ofertadas no mídia kit devem estar claras. Assim sendo, na apresentação de cada ferramenta e ação, vale considerar:

  • um título objetivo e esclarecedor;
  • uma boa imagem ilustrando a iniciativa;
  • uma descrição clara, detalhando o que é e o que contempla a iniciativa;
  • dados e cases que reforcem os benefícios de fazer uso da ferramenta/ação e como trazem retornos em venda, visibilidade, incremento em sell out;
  • as especificações (dimensões, formatos, tipos etc);
  • o valor do investimento (detalhando o período e a abrangência da ação – número de lojas, bandeiras etc – contemplados no investimento).

Organize a apresentação das ferramentas e ações por perfil

Os tipos de ferramentas e ações variam. Por exemplo, podem ter iniciativas que são específicas para execução no e-commerce. Outras são relacionadas a eventos. Há ainda ferramentas específicas de mídia impressa. Estruturar um sumário que direcione o leitor por perfil de iniciativa pode facilitar o processo de entendimento. Abaixo algumas sugestões de agrupamentos (existem inúmeras possibilidades, a depender, inclusive, do perfil de canal. A ideia aqui é apenas contribuir com uma inspiração):

  • mídia impressa em loja (revistas, encartes, tablóides etc);
  • espaços para visibilidade das marcas em loja (vitrines, painel backlight, visibilidade em cupom fiscal etc);
  • espaços para pontos extras em loja (ilha, ponta de gôndola, balcão, checkout etc);
  • ações de abordagens diretas com o consumidor (CRM, degustação, demostração de produtos, entrega de amostras etc);
  • visibilidade no ecommerce (banners, botões, store-in-store etc);
  • eventos.

Faça uma breve apresentação vendedora introduzindo cada grupo de ferramentas e ações

A cada bloco de iniciativas, vale fazer uma breve apresentação do que caracteriza àquele grupo e destacar os ganhos que a indústria tem ao investir naqueles formatos de ações. Por exemplo, ao investir em pontos extras, a indústria tem a possibilidade de promover a compra por impulso destacando seus produtos em pontos quentes da loja.

Construa “pacotes de ações” e organize cada um em diferentes perfis de planos

Estruturar planos diferentes e que tenham a flexibilidade de adaptação para as diferentes necessidades de cada perfil de indústria pode ser uma oportunidade ganha-ganha. Aqui, a dica é não construir modelos de planos muito engessados, com ferramentas fixas. Uma sugestão seria incluir, talvez, planos em que a indústria pudesse ter a flexibilidade de escolher diferentes perfis de ferramentas dentro de cada um dos blocos. E cada um variar a precificação a partir do seu modelo. Nomear cada plano por perfil, como “plano ouro”, “plano prata”, plano bronze”, por exemplo, pode facilitar o entendimento da indústria sobre o que ela pode esperar em cada um dos perfis.

Quer aprender mais sobre trade marketing gratuitamente, me siga no instagram. Caso queira investir no seu desenvolvimento profissional em trade marketing, que tal fazer uma mentoria individual?

Se sua empresa precisa de uma consultoria em trade marketing, clique aqui.

A Fórmula da Prosperidade

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Receba meus conteúdos por e-mail!

Receba meus conteúdos por e-mail!

Minha missão é te empoderar através do conhecimento. Inscreva-se e receba os novos conteúdos que eu publicar, além de cursos, dicas e muito mais! Vamos juntos?

Sua inscrição foi feita com sucesso! Obrigada por estar comigo nessa jornada. Vamos juntos!

Share This